Teatro para Dia dos Pais

 

 

A NOITE DA VERDADE

A NOITE DA VERDADE - Teatro CristãoA rebeldia de Marcos, filho de um médico, pregador do evangelho.
Buscando afirmação como jovem independente, ironiza, debocha dos pais. Uniu-se a outros jovens, que com violência tentam impor-se.
Na véspera do dia do dia dos pais em meio a bebedeira, um quebra quebra no bar, marcos fica ferido e volta pra casa. Já revendo suas atitudes.

(Peça em 1 ato)
PERSONAGENS :PAULO, o pai ; ETEL, a mãe ; MARCOS, o filho .
CENÁRIO- Uma sala de residência.
INDUMENTÁRIAS- Comuns, da época atual.
ACESSÓRIOS- Uma Bíblia, óculos, algodão, e mercúrio para um curativo.
No início da peça, Paulo está em cena sentado, lendo a sua Bíblia e fazendo algumas anotações . Em seguida, entra Etel.
ETEL: Vou servir o jantar daqui a pouco, Paulo.
PAULO: Está bem, estou quase terminando este esboço.
ETEL: Você irá pregar amanhã, à noite?
PAULO: Não, pela manhã, no programa especial para o Dia dos Pais.
(Etel parece entristecer-se e anda de um lado para outro. Paulo percebe seu nervosismo, levanta-se e, em boca de cena, passa o braço ao redor dos ombros da esposa.)
PAULO: E então, Etel, o que há?
ETEL: Penso o quanto deve ser difícil, para você falar aos pais de nossa igreja tendo um filho tão...problemático.
PAULO: Você tem razão. Só mesmo pela infinita misericórdia de Deus.
ETEL: Marcos me preocupa, saindo com aquela sua turma onde não há um só rapaz ajuizado.
MARCOS: (entrando) Aposto que estão falando a meu respeito.
PAULO: Você sabe que temos razões de sobra, para ficarmos preocupados com você.
MARCOS: (rindo) Ora, meu pai, é que hoje em dia já não fazemos programas tão ingênuos quanto os de sua época!
PAULO: E o que fazem então? Fumar, beber, depredar tudo, como verdadeiros vândalos? Diga-me, Marcos, o que fez de seus estudos?
MARCOS: Mamãe ainda não lhe disse? Tranquei a matricula.
PAULO: E por quê?
MARCOS: ( sem jeito)- Porque...sei lá, acho que ainda não estou bem certo, se a medicina é mesmo uma boa carreira.
PAULO: E o que vai fazer de sua vida?
MARCOS: Aproveitá-la, meu pai, da melhor maneira possível.
ETEL: Bem, eu vou cuidar do jantar. (Sai)
MARCOS: Eu já estou de saída. O pessoal está à minha espera.
PAULO: Você irá à igreja amanhã, Marcos?
MARCOS: (reprimindo o riso) Igreja!...Bem... Pode ser, se eu não estiver com muito sono.
PAULO: Cuidado filho. Os caminhos que a juventude escolhe nem sempre são os melhores.
MARCOS: (revoltado) Cuidado, cuidado! O senhor pensa que ainda sou um menino, pai? Sou um homem! Quer saber mais? Cuide de sua vida pacata de pregador de igreja e eu cuido da minha, entendeu? (Sai)
PAULO: (sentando-se, muito triste) “Meu Deus, que situação difícil! Eu o entrego em tuas mãos, Senhor. Que o meu filho possa abrir os olhos para a verdade. Amém.”
(Apagam-se as luzes e Paulo sai)
NARRAÇÃO: E Marcos foi juntar-se àqueles que consideravam seus melhores amigos – os piores rapazes do bairro. Esquecido da família e da existência de Deus divertia-se à larga, sem dar importância a mais nada, que não fosse aquela noite, que parecia feita para a festa e a alegria.
(Ainda com as luzes apagadas: música especial.);
(Em seguida, Marcos entra pela porta que dá para a rua, com o rosto parecendo ferido. )
MARCOS: (gritando) Meu pai! Por favor, papai, preciso falar-lhe! (Acendem-se as luzes e Paulo entra pela porta dos fundos, trazendo os óculos e a Bíblia na mão)
PAULO: O que foi, Marcos? Mas o que aconteceu com o seu rosto?
MARCOS: (tocando o rosto ferido) Creio que estou machucado. (Nervoso) Puxa pai, foi horrível!
ETEL: ( entrando) O que houve filho? (Assusta-se) Mas você está ferido!.
MARCOS: Não se preocupe mãe. Eu... Acho que mereci o que aconteceu.
PAULO: (abraçando o filho) E o que aconteceu, Marcos?
MARCOS: O senhor tinha razão, como sempre; tinha razão. Foi o seguinte: estávamos todos bebendo no bar e, de repente, começou uma confusão boba. Lúcio então resolveu sair quebrando tudo, copos, garrafas..., como louco. Creio que na confusão feriu gravemente o dono do bar. Alguém chamou a polícia e...
PAULO: ... E você conseguiu escapar, não foi?
ETEL: E como provar agora, que não teve culpa?
MARCOS: Todos viram que foi o Lúcio, quem começou tudo...
PAULO: Mas você estava junto e poderá ser incriminado também, não acha?
MARCOS: (meio amedrontado) Não poderão provar nada contra mim.
ETEL: Eu vou buscar algo para fazer um curativo. (Sai)
PAULO: Meu filho, um homem é reconhecido pelo que faz e pelas companhias com quem anda. Diante da lei, você terá de provar que está inocente e eu não poderei fazer nada.
MARCOS: (andando nervosamente de um lado para outro, como acuado) Mas você é um homem muito respeitado. É um médico, pai!
PAULO: Ainda esta noite, você não considerava tão importante ser um médico...
MARCOS: Eu estava errado, pai. O senhor me perdoa?
PAULO: É claro, Marcos. Mas ainda assim terá de prestar contas com a justiça, se andou agindo errado.
MARCOS: Estive errado andando em companhia deles. Agora sei quem realmente são.
PAULO: Acha que os rapazes da igreja, que você considerava tão piegas, agiriam assim?
MARCOS: Não, sei que não. Eu... Irei à igreja amanhã. Poderei pedir a minha reconciliação?
PAULO: Amanhã não, teremos uma programação especial na igreja.
ETEL: (entrando com o material do curativo) Amanhã é Dia dos Pais, Marcos.
MARCOS: Dia dos Pais? Puxa, eu tinha esquecido.
PAULO: Não importa você já deu o presente: a sua decisão de mudar de vida.
ETEL: (limpando o rosto do filho) Lembra-se de quando foi líder da mocidade em nossa igreja, filho? Nunca esteve tão feliz como naquela época.
MARCOS: (fazendo uma careta de dor) Cuidado, mãe, está doendo. Você acha que a mocidade me elegeria outra vez?
ETEL: Sei que ficarão alegres com a sua volta.
MARCOS: (nova careta) Mãe, devagar, está doendo.
PAULO: (rindo) Não reclame, Marcos. Você já não é mais menino, é um homem. Lembre-se!
MARCOS: ( depois de submeter-se ao curativo, abraça o pai-)Tem razão, pai, eu sou um homem.
(Cena em estático: Pai e filho abraçados, e Etel rindo, ao lado, olhando o curativo no rosto de Marcos)
NARRAÇÃO- E no domingo, na festa do Dia dos Pais, Paulo falou animadamente do imenso amor de Deus e de quanto Ele ouve as orações de todos os pais que entregam os filhos em suas santas mãos.
(As três personagens movimentam-se e podem cantar uma música especial em homenagem aos pais).

Fonte WEB MINISTÉRIO INFANTIL Tio Fabrício e Tia Marcia Daniela

 

 

PRIMEIRO PAI

PAI- Teatro CristãoDeus convoca um homem para ser um pai nos Seus padrões, este aceita o desafio e Deus o orienta e capacita...

 

 

PERSONAGEM:5

PAI: MÃE:
FILHA1: FILHA2:
VOZ S DEUS :

Local - A igreja está toda apagada

Deus: Meu servo, você terá uma grande missão à cumprir...
PAI: Eu Senhor ?
Deus: Sim, você é o escolhido, para iniciar algo divino na terra.
PAI: Senhor, que seja feita a sua vontade.
Deus: Se você a cumprir corretamente, você passará isso de geração à geração, anos após anos...

(houve um estouro)

Pai vem do fundo da igreja. Alegre, mas estranhando um pouco o lugar.
Pai: hum... que lugar legal, (olha as coisas e senta-se)..hum confortável. Mas onde eu estou ?
Deus: Olá Filho ...
Pai: Meu Senhor ! Ainda posso ouví-lo.
Deus: Sim, sempre estarei aqui pronto à ouví-lo. Bem, vamos à sua missão.
Pai: Sim, Senhor.
Deus: Você é o 1º Pai da terra...
Pai: O primeiro ??? Eu ???
Deus: Sim, o primeiro, e se cumprires corretamente aos meus ensinamentos, isso passará de geração para geração.
Pai: Sim Senhor, sempre O obedecerei. Mas o que eu devo fazer ?
Deus: Você saberá. Sempre que for necessário, falarei com você, assim como vos falo através do seu coração.
Pai: Mas como que é isso ? Como é ser um pai... (silêncio) Senhor ???... acho que Ele foi.... vamos ver por onde começo.... ah! parece ser fácil
(fica pulando no sofá, e vê o controle da TV)
Pai: O que é isso ? (liga e se assusta) dá risada, que coisa legal.
(entra filha nº 1)
Pai: Oi paaaaiii
Pai: Aaaiii quem é vc ?
Filha: Oi paizão que saudades !
(olha para o céu)
Pai: Senhor ?
CONGELA FILHA
Deus: Esta é a sua filha, você tem grande responsabilidade pela vida dela, você deve dar muita atenção, carinho, ensinando-a e educando com muita dedicação.
Pai : Ah sim, entendi.
DESCONGELA FILHA
Filha: Pai, brinca comigo ?
Pai: Claro, claro
(Os dois sentam-se no chão e entra filha 2)
Filha2 : Obaaaa!!! Eu também, eu também quero, eu também quero...
Pai : Ai... outra ? Ai que legal, vcs duas são parecidas...
Filha2: Claro né Pai, somos irmãs.
Pai: Senhor, e dá pra dar conta de duas ??
CONGELA AS FILHAS

Deus : Sim, claro, e dá para dar conta de muita mais.
Pai: Não brinca... então deve vir mais por aí...
DESCONGELA FILHAS
Filha: Pai ! Brinca com nóis !!!
Pai: Claro, claro
(entra mãe)
Mãe: Mas o que, que está acontecendo aqui ? Adão ! Você está atrasado querido.
(Pai, quando a olha, leva um susto)
Mãe: O que foi ?
Pai (como se estivesse falando para o público): Ah, eu já sei, ela é a minha terceira filha.
Vem, filhinha do papai, quer brincar também.
Mãe: Adão ! Você está bem humorado hoje hein ?? Vamos, venha, seu café está na mesa. Já está na sua hora de trabalhar.
Pai: Hein? Trabalho? Senhor me ajude quem é ?
CONGELA AS 3
Deus: Esta filho, é a sua mulher, sua esposa. Você deve cuidá-la, amá-la e respeitá-la. É sua auxiliadora, o acompanhará em todos os momentos, ela é doce, e você também deverá se dedicar muito à ela.
Pai: hummm gostei !! Eu bem que senti algo diferente nela.
DESCONGELA 3
Pai: Amorzinho ! (se assusta com o que falou) Eu cuidarei, te amarei e te respeitarei para sempre. Como eu te amo !
Mãe: Adão Que lindo ! E logo cedo ouvir isso, até muda o nosso dia. Você está inspirado. Mas vamos nos apressar certo ? Meninas venham. Seu pai, já está saindo para o trabalho, e ele as deixarão na escola. (os chama para dentro)
Pai: Eu já vou ok ?
Mãe: Ok, mas não se atrase. E já pegue a sua pasta no quarto.
Pai: Senhor ?
Deus: Sim
Pai: Trabalhar ? o que é isso ?
Deus: Você é o cabeça do lar, você trabalha para trazer sustento para o seu lar. Par poder cuidar bem dessas pessoas.
Pai: Que legal! Tô gostando disso... tenho 3 pessoas maravilhosas na minha vida, ainda sou o cabeça delas. Como sou importante.
Deus: Sim, você é uma peça importante também para a sua família.
Pai: Família? Quem é essa? Outra filha ? Ou outra esposa ?
Deus: Não. Você é um homem que deve Ter apenas uma única mulher, e com ela você teve 2 lindas filhas. Isto é uma Família.
Pai: Senhor, somente Tu poderia criar algo tão divino e perfeito. Mas meu Deus querido, como conseguirei dar conta dessa responsabilidade ? Olha só: cuidar, dar atenção, amar, trabalhar, levar para escola...
Deus: Filho, escute o que vou lhe falar: Você deve sim trabalhar, para sustentar o seu lar, deve sim nunca se esquecer de dar carinho, amor e quando for preciso, corrijir os erros.
E o principal meu Filho: Nunca deixe de servir o teu Deus, sua família deve crescer firmada na Rocha, e isso é o seu papel principal. Compreendeu as minhas palavras?
Pai: Sim, compreendi. Devo amor, cuidado, respeito, correção quando for preciso.. mas peraí... como vou saber quando devo corrigir?
Deus: Você tendo uma vida guiada pelo Espírito Santo, Ele mesmo o dirá quando será a hora de corrigir.
Pai: Que benção! Ter uma família que será guiada pelo Espírito Santo e que crescerá nos caminhos de Deus. Como sou feliz ... Farei direitinho Senhor... vou pegar a minha pasta, para não me atrasar para ir à escola... quer dizer ao trabalho, ai preciso decorar estes lugares.

(ele entra - apagam as luzes)

VOZ: ALGUM TEMPO DEPOIS
(Filhas saem da porta)
Filha2: Será que o papai já chegou?
Filha1: Já sim, eu vi ele chegar.
Filha2: O pai já ensinou que não é "eu vi ele chegar", é " eu O vi chegar".
(Filha1 faz cara de quem não entendeu nada, pois ele entendeu OUVI CHEGAR.)
Filha2: Paaaaiiii, vem brincar com nóóóiiis.
Filha1: O papai já ensinou que não é nóóiis, é nós, entendeu ? nós...hihi
(Pai sai da porta)
Pai: Princesas do pai... com o foi o dia na escola?
Filha 1 , 2: Fomos bem.
Pai: Vocês trouxeram lição de casa ?
Filhas enrolam
Pai: Humm sei. Isso é um sim né ? Eu as já conheço. Vamos fazer todos juntos antes do jantar, certo?
Filhas1,2: Certooo
Pai: E eu tenho uma novidade para vcs ?
Filhas1,2: Ebbbaa
Pai: Sabe, o que eu estava pensando ???
(Mãe saindo porta.)
Mãe: E será que eu também posso participar dessa novidade?
Pai: Claro que sim, venha sente-se conosco.
... eu estive pensando, tenho trabalhado muito. Ultimamente é só trabalho e trabalho.
Filha 2: Já sei !! Você vai tirar uma férias ??
Filha 1,2: Ebbbaaa
Pai: Não, não é isso ?
Mãe: Não? Então o quê ?
Pai: Não posso ainda tirar férias. Mas nós vamos amanhã, que é Sábado, tirar o dia apenas para nos divertir e descansar, vamos passear em vários lugares.
Filha1,2: Ebbbaaa
Mãe: Mas querido, você trabalha tanto, tem uma vida corrida, que não sobra tempo pra nada, você cuida de todas nós, nos dá carinho, atenção, não deixa faltar nada em casa e nem para nós, procura sempre estar nos agradando, você não acha melhor descansar ?

(as meninas murcham)
Pai: Não, não acho...
Filhas 1,2: Ebaaa
Pai: Preciso também separar um momento para a coisa mais preciosa que Deus me deu: Minha família.
Eu percebi que o mundo nos toma muito tempo, e se a gente não nos disciplinarmos e não separarmos um momento nosso para Deus e para a nossa família, isso só nos trará sabem o quê??
Filhas 1, 2: O quê pai ?
Pai: Tristezas, problemas, fraquezas pra dentro de nós, e também para a nossa família. E isto refletirá em vocês. E quando vocês crescerem ? o que vocês ensinarão aos filhos de vocês ?
Filha1: Tudo isso que o senhor nos ensinou e fez pra nós.
Pai: Por isso eu devo ser exemplo hoje para vocês.
Filha2: Ah, Pai, que nosso Deus continue te iluminando todos os dias.
Mãe: Você tem sido um pai exemplar e Deus tem se agradado com você, por isso somos um família tão feliz..
Todos se abraçam.
Deus: Feliz dia dos Pais à todos os Pais.

 

 

Procura-se um Pai

A criançada está procurando um pai...
Peça em 1 ato.
Personagens: Narrador, 2 crianças, vendedor, 6 pais
Narrador: Atenção, Senhoras e Senhores. O que vocês vão assistir agora é uma ficção. Qualquer semelhança terá sido mera coincidência!

Entram as crianças, conversando preocupadamente.
CRIANÇA 01: Calma! Nós vamos encontrar. Vamos ver... Onde a gente pode começar a procurar? Ah! Tive um a ideia. Vamos até o shopping.
CRIANÇA 02: É mesmo dizem que lá vendem de tudo. Pode ser que venda pai também!
As crianças saem de cena. Quando o narrador começar a falar elas entram novamente em cena.
NARRADOR: As crianças correm para o shopping. Andam de um lado para o outro, olhando em todas as lojas, mas não encontram nada. Quando estão quase desistindo, uma das crianças vê uma placa grande e bonita. Que surpresa para eles! A placa dizia... "Temos todos os tipos de pais".
As duas crianças se aproximam para ler a placa, quando chega o vendedor.
Vendedor Pois não? Posso ajudar vocês?
CRIANÇA 01: Acho que sim.
VENDEDOR: O que vocês estão procurando?
CRIANÇA 02: Nós estamos querendo um pai.
CRIANÇA 01: E o cartaz diz que aqui tem todo tipo de pai.
CRIANÇA 02: É isso mesmo, "a gente" quer um pai para cuidar de nós! Você tem algum aí?
VENDEDOR: Um, não. Vários. Vocês vieram ao lugar certo. Aqui nós temos todos tipos de pais. Eu vou chamar um por um, aí vocês escolhem!
Entra o Pai Esportista - vestido com roupa de ginástica, saltitando e fazendo polichinelos.
VENDEDOR: Fiquem a vontade.....
As crianças espantadas se aproximam para conversar
CRIANÇA 01: O senhor quer ser o nosso pai?
Pai esportista (Toma as mãos das crianças e move para cima e para baixo com ritmo e começa a fazer ginástica).: Venham pra cá e façam como eu. Vocês estão fora de forma.
CRIANÇA 01: O senhor ainda não respondeu quer ser o nosso pai?
PAI ESPORTISTA: Claro! Vocês estão mesmo precisando de ginástica. Vocês treinarão duro para ter um corpo de atleta como o meu e comerão somente o necessário. Nada de comer doces, salgadinhos, refrigerantes...
CRIANÇA 02: Mas fora tudo isso aí que o senhor falou, o que mais o senhor pode nos dar?
PAI ESPORTISTA: Bem deixe-me pensar... Mais nada! Vocês serão atletas... querem mais?
Pai sai saltitando
CRIANÇA 01: Ih, esse pai esportista não daria certo nunca! Imagina só até sermos atletas estaríamos um palito!
CRIANÇA 02: O jeito é continuar procurando... Não podemos desanimar!
Entra o pai desleixado, mal vestido, barba por fazer, andar desligado, olhando pros lados.
CRIANÇA 02: O senhor quer ser nosso pai?
Pai desleixado: Vou pensar... Pode ser! Vai ser manero; mais já vou falar logo vocês podem comer besteiras, não precisam escovar os dentes, não precisam ir pra escola e muito menos para a igreja.
CRIANÇA 01: Esse aí tem um parafuso a menos.
CRIANÇA 02: É... Está realmente difícil!
O pai desleixado fica num canto.
Entra Papai Noel, carregando uma sacola pesada, rindo "ho,ho, hó" e badalando um sino.
CRIANÇA 01: Este aqui parece ser legal!
CRIANÇA 02: E o senhor quer ser o nosso pai?
PAI NOEL: Quero sim, nós vamos nos divertir muito. Tenho sempre muitos presentes para vocês, mas eu só apareço no fim do ano e vocês terão que ficar sozinhos.
As crianças balançam a cabeça e fazem cara de desânimo. Papai Noel pega o pai desleixado pelo braço e os dois saem de cena.
Entra o Pai espião, roupa preta, olhando por cima do ombro para ver se não está sendo seguido
CRIANÇA 01: Você quer ser o nosso pai?
CRIANÇA 02: Só se o senhor quiser! (olhando em volta para ver o que o pai está procurando).
PAI ESPIÃO: Vocês que sabem... Minha vida é uma grande aventura, vocês não terão um dia como o outro, terão que estar sempre fugindo sem descanso. Vocês escolhem.
CRIANÇA 01: Acho melhor não... Mas muito obrigado!
Sai o pai espião, e entra o pai desconfiado - braços cruzados e não olha ninguém no olho.
CRIANÇA 02: E o senhor quer ser o nosso pai?
PAI DESCONFIADO: Sei não, vocês estão me parecendo encrenca! Acho melhor vocês procurarem outro pai. (e sai de cena)
As crianças sentam no chão de cabeça baixa, desanimadas
CRIANÇA 01: Nós não vamos encontrar...
Entra o vendedor
VENDEDOR: O que foi com vocês? Estão tristes?
CRIANÇA 02: É, você acha que está fácil? Mas, não está não!
VENDEDOR: Ainda não acabou; só tenho mais um. Quem sabe?
O vendedor vai chamar o último pai e as crianças olham ficam olhando.
Entra o pai cristão, roupas normais, com sorriso franco, se abaixa para falar com as crianças e as olha no olho.
CRIANÇA 01: Será? E o senhor, quer ser o nosso pai?
PAI CRISTÃO: Claro que sim! Sempre cabe mais um no coração de um pai cristão. O que eu aprendi de Deus, ensinarei a vocês: que a salvação está em Cristo Jesus e a comunhão com os irmãos! Teremos momentos difíceis e também momentos bons; mas, seremos felizes.
(O pai dá as mãos às crianças e se coloca em postura de oração)
PAI CRISTÃO: Direi como o rei Salomão:"Dize à sabedoria: tu és a minha irmã e à prudência chama tua parenta". Rogo a Deus que me faça sábio e prudente para poder dar sólida educação cristã a meus filhos. Amém.
(De mãos dadas saem as crianças - sorrindo satisfeitas - com o pai)

 

 

 

 

DIA DOS PAIS

Um convite à reflexão, no qual são expostas diversas "versões" de pais.

Pai insensato

Pai liberal

Pai Ausente

Pai ditador

Pai murmurador

 

1º ATO

Pai insensato
João era um pai insensato. Pensava somente em si mesmo, e não ligava para o que os filhos ou sua esposa pensavam. E suas atitudes eram agressivas, pois ele não pensava nas conseqüências.

Cena 1

Todos esperam na mesa a chegada de João (Dois filhos e a esposa).

João entra em cena...

JOÃO- Cadê a comida que num tá na mesa?! Mas será possível? Eu quase me mato de trabalhar e chego pra descansar, e não tem nada pra comer?! Que raiva!!

ESPOSA- Calma João, por favor... num grita, eu já vou buscar a comida, é que dexei pra isquentar no forno, até ocê chegar. Pera aí, já vô pegar!

A esposa de João sai de cena, e João se aproxima dos filhos...

JOÃO- O que é isso?! Moleque porco! Num lavo as mão antes de sentar na mesa num foi? Vá já lavar essas mão, antes que eu te dê um “surra“ bem dada! E você! (apontando p/ menina), que roupas indecentes são essas? Ah! mais eu vô te dar uma surra!!...

João começa a bater na menina, quando sua esposa entra aos prantos..

ESPOSA- (Grita) Não, Não!! João! Não! Ela ta vestindo assim é pra uma peça na escola, é só pra vê se dá nela!!...

JOÃO- Mais agora cê vai levar um cinturada, pra aprender que quem manda aqui sou eu...

João começa a bater em sua esposa e em seus filhos.

João é preso por agressão física e verbal. Sua esposa foge com seus filhos para a cidade de seus pais.

2º ato

Pai liberal
Ser um pai liberal também gera algumas conseqüências. Seu Carlos era um pai liberal. Fazia todas as vontades de seus filhos sem prestar atenção no que estava fazendo, sem medir conseqüências.

Cena 2

Três jovens estão na sala de estar se divertindo ouvindo um som.

Pedrinho anfitrião, traz algumas bebidas...quando sua mãe chega em casa.

MÃE- Pedrinho! O que está acontecendo aqui? Que bagunça é essa? Seu irresponsável...

Não acredito! você está bebendo? Quem deixou vocês fazerem isso?Meus Deus!...

PEDRO- Calma mãe relaxa. Que caretice é essa?...

AMIGO DE PEDRO- E ó coroa! Foi o pai dele quem liberou! Ta ligado?

Pedro, não pense que vai ficar por isso.

MÃE- Mas que desaforo!! Saiam daqui!! AGORA! E eu quero ter uma conversinha com você

Os amigos de Pedrinho saem e Seu Carlos entra em cena...

MÃE- Carlos eu estava mesmo esperando por você! Como pôde deixar seu filho se afogar na bebida? Ele agora está andando com gente de má fama. E vai saber o que mais ele está metido! Você não está me ouvindo? Estou falando com você!

CARLOS- Calma, você está fazendo tempestade em copo d’água. Eu só deixei ele se divertir um poucos com os amigos. O que é que tem de mal nisso. Não ligue pra isso eles sabem se cuidar...

MÃE- Anota o que eu tô te dizendo, isso ainda vai sobrar nós e não vou te ajudar.

A mãe sai de cena, e sua filha mais velha entra em cena...

FILHA- Pai, Pai!!

CARLOS- O que foi minha filha?

FILHA- Sabe pai, eu conheci uma garota e se tornamos muito amigas. Só que ela... é... tipo assim, rica, e gosta muito de comprar roupas, acessórios. Ela me chamou pra sair, pra fazermos umas comprinhas, mas eu tô sem grana. O que eu faço? Será.. que o senhor não pode... me arrumar um dinheirinho, pra eu comprar umas besteirinhas com minha colega?Hein?...

CARLOS- Quanto você quer?

FILHA- Hum... eu não sei direito... mas me empresta seu cartão de crédito e eu vejo quanto vou gastar. É pouquinho.

CARLOS- Veja lá o que você vai fazer? Eu tô devendo um monte de faturas do cartão e este só tem um pouquinho de crédito.Viu?

FILHA- Pode deixar!! E... pai! O você acha desta roupa? Eu tô bonita?

CARLOS- Você não acha que é um tanto curta?
FILHA- Ah! Pai! Deixa de caretice, todo mundo ta usando assim agora, virou moda.
CARLOS- Tá certo minha filha, tá ótimo! Pode ir.

FILHA- Valeu pai! Você é o melhor pai do mundo! (Beija o pai e sai de cena).

Todos saem de cena

Depois de um tempo Pedro, filho de Carlos, se tornou viciado em bebida alcoólica, e teve que ser internado em uma casa de tratamento. Sua filha, mais tarde, se tornou uma compradora compulsiva e quase foi presa por tentar roubar roupas de uma loja, com sua amiga.

3º ato

Pai Ausente
Não dar atenção aos filhos, trazem conseqüências dolorosas. Ser um pai ausente, é não ligar para os filhos, não se importar com as notas de seu filho na escola, nem se orgulhar do primeiro “Eu te amo”, que ele escreveu no Dia dos Pais, ou sequer lembrar de seu aniversário. Jorge, era um pai ausente.

Cena 3

Fernandinho entra na sala correndo com o boletim na mão.

Estavam a esposa sentada fazendo tricô, e Jorge trabalhando no computador... Quando

FERNANDO- Mãe! Veja as minhas notas aqui no boletim. Eu tirei 10 em matemática.

MÃE- Que bom meu filho. Você é muito inteligente, estou orgulhosa de você. Mostre para o seu pai ele vai gostar de ver.

FERNANDO- Pai, Pai! Vem ver minhas notas! Eu tirei 10 em...

JORGE- (Interrompendo) Ah! Que bom meu filho. Agora vá brincar, vai e não me atrapalhe que estou fazendo uma coisa importante, sai, sai.

FERNANDO- (Triste) Puxa! Papai não liga pra mim.

MÃE- É claro que liga pra você, só que anda muito ocupado ultimamente. Vá brincar com seus coleginhas.

Mais tarde... Fernando volta com uma bola na mão, e seu pai termina o trabalho.

JORGE- Hum! Ainda bem que terminei este trabalho... Ufa!

FERNANDO- Papai, me ensina a jogar bola!
JORGE- Agora não meu filho, eu vou tomar banho, vá pedir pra sua mãe!

Todos saem

Mais tarde Fernando, filho do casal, revoltado, foge de casa e é levado para um reformatório. Ele não se conforma pela ausência do pai, e faz de tudo para chamar sua atenção.

4º ato

Pai ditador
Mandar um filho fazer alguma coisa, é impor respeito do filho ao pai. Mas quando há exagero por parte do pai, isso se torna uma obrigação ao filho.Marcos era um pai ditador.

Marcos sentado lendo o jornal, filho estudando, quando sua esposa entra...

ESPOSA- Marcos, veja! O que você acha dessa roupa?

MARCOS- Está linda. Mas aonde pensa que vai?

ESPOSA- Eu vou sair com minhas amigas, Por que? Não posso?

MARCOS- Não pode, por que tem que cuidar da casa, pois vou sair. E ai, de você não estar aqui quando eu chegar. Junior! Vá buscar meu casaco!

JUNIOR- Pera aí, pai! Eu tô estudando!

MARCOS- O que? Você vai me desobedecer?

JUNIOR- Não pai! Eu já vou!

MARCOS- (apontando p/ esposa) O que você está olhando? Quem manda aqui sou eu!

Junior volta com um casaco nas mãos

MARCOS- Mas o que é isso, Junior? Você não serve pra nada mesmo, hein? Não é este casaco, é o preto!! Vá já buscar antes que te dê uma lição!!

Todos saem

Devido a severidade de Marcos, Junior ficou com um grande complexo de inferioridade , isso piorou depois de sua mãe se separar de Marcos. Junior teve que consultar um terapeuta.

5º ato

Pai murmurador
Roberto vivia reclamando da vida. Reclamava de tudo, reclamava do trabalho, dos filhos que iam mal na escola, da comida que sua esposa fazia. Sem notar, isso influenciava os atos de seus filhos. Roberto era um pai murmurador.

Estavam a esposa e o filho na sala quando o Roberto entra...

ROBERTO- Que trabalho chato! Meu Deus! Me ajude! Cadê o almoço?
ESPOSA- Um momento, meu amor, eu coloquei para esquentar.

ROBERTO- E você meu filho, como está lá na escola?
FILHO- Ah! Tá ruim demais! Eu não consigo ler o que a professora escreve no quadro, e daí não entendo nada. Acho que preciso usar óculos.

ROBERTO- Óculos? Vocês só saber me dar gastos, só dinheiro, dinheiro! Eu não sou rico não!! É óculos pra cá, dinheiro pra feira, dinheiro pra isso, dinheiro pra aquilo! Chega!!

FILHO- Desculpe, pai.

ESPOSA- A comida tá na mesa!!

Todos se sentam para almoçar...

ROBERTO- Hum! Essa comida não está com um cheiro muito bom!, E eu acho que é o feijão. Você não fez uma saladinha?

ESPOSA- Não, e é melhor você comer o que tem.

ROBERTO- Puxa! Que vida essa minha! Eu trabalho, sustento vocês, e vocês não fazem nada pra agradar seu pai?

Roberto sai de cena

FILHO- O que é que ele tem, mãe?

ESPOSA- Deve ser “estress”, meu filho.

Todos saem

A tristeza tomou conta daquela família. O filho de Roberto, não vai bem na escola, Roberto não consegue administrar bem suas finanças e não consegue uma doméstica para ajudar sua esposa em casa, e tudo começa a dar errado.

Uma família com cristo
Apesar da maioria dos exemplos de pais existentes, não serem os melhores, apresento-lhes uma família exemplo, uma família com cristo. Marta é uma mãe e esposa essencial, não discute com seu marido Lucas e está sempre buscando e adorando a Deus. Lucas, também é um pai, especial. Zeloso com seus filhos, sempre alegre, e louvando ao senhor.

Efésios 6:1 “Vossos filhos sedes obedientes aos vossos pais no senhor, pois isto é justo. Honra teu pai e tua mãe que é mandamento com promessa, para que te vá bem e viva muito tempo sobre a terra.”

Devemos lembrar e amar aquele que nos ama como filhos, e nos quer como irmãos. Devemos lembrar do Pai dos Pais, do pai de todos nós. O senhor Deus


Enquete

Você acha correto cobrar para pregar?

Sim, pois oobreiro é digno do seu salário
19%
952

Não. Pregar é obrigação de todo crente.
81%
4.039

Total de votos: 4991


Contato

Flavia Grégio (Boneca Gigi)

Rio de Janeiro
Brasil


55 - (21) 2481 3877 / 87603 408
flaviagregio@yahoo.com.br