Ser vencedor Começa na Infância

 

Vencedores não aparecem por acaso. Ele são gerados.


Autor: Pra. Márcia Ribeiro

As crianças fazem parte do Corpo de Cristo, pois o requisito para ser membro desde Corpo não é ter uma ficha de membro ou grau elevado de escolaridade, mas sim, unicamente o novo nascimento 

Não podemos determinar com exatidão a idade em que uma pessoa é capaz de receber a Jesus como Salvador, mas de uma coisa sabemos com certeza: todos aqueles que crêem são salvos.

Desde os três anos de idade as crianças já possuem capacidade intelectual para entender o plano de salvação. Ainda que restrito, esse entendimento lhes dá condições para crer. Tenho ouvido muitos testemunhos de pessoas que aceitaram a Jesus na sua mais tenra infância e se lembram disso com clareza e convicção.

Temos desprezado as crianças porque subestimamos a sua capacidade de conversão. Se Jesus preocupou-se em ordenar que não as deixemos perecer, é porque é possível salvá-las ainda na infância. Não precisamos esperar que cresçam para lhes pregar o Evangelho. Hojé é o dia de pregarmos a Palavra para as crianças - porque elas vão ter a capacidade de crer. 

Segundo uma estatística, 65% das pessoas que se convertem fazem sua decisão na infância. Se é muito mais fácil à criança do que ao adulto crer em Cristo, por que não investimos alto na infância e na adolescência, tanto quanto o fazemos com outras faixas etárias na Igreja?

Olhando por esta ótica, estamos vivendo um período de grandes oportunidades para se pregar o Evangelho, visto que cerca de 50% da população brasileira - e mundial - é formada por crianças e adolescentes. Estamos na plenitude do tempo para alcançar o maior número de conversões que já se viu na história do Evangelho!

Nós seremos a geração com o maior número de convertidos da História, se aproveitarmos as chances que Deus está nos dando. Precisamos investir sério no trabalho com as crianças, a fim de alcançá-las enquanto estão mais abertas ao Evangelho do que poderiam estar no futuro, quando crescerem.

Um outro motivo também pelo qual precisamos trabalhar com crianças é que estamos formando uma geração de vencedores. Uma geração de vencedores significa ter pessoas que expressam a imagem de Jesus, manifestando a vida de Deus em toda a sua maneira de viver. Isso acontece num processo, porque vencedores não aparecem por acaso. Eles se formam com o tempo e são frutos de um trabalho. E esse é um processo que deve começar na infância.

Deus age começando pela infância, sempre que Ele está para levantar um povo vencedor, que O reconhece como Senhor absoluto. Desde a Criação, quando Deus ordenou a fertilidade, Sua intenção absoluta era que Adão gerasse filhos que fossem a imagem e semelhança de Deus. Aconteceu também com Abraão: a promessa de Deus foi cumprida em uma criança - Isaque.

Quatro mil anos depois, o maior mover de Deus de toda a História foi colocado sobre uma criança: Seu Filho Jesus Cristo! Para não mencionar as dezenas de outros casos - bíblicos ou não -, de grandes promessas de Deus se cumprindo nas crianças.

Se esta é a maneira de Deus levantar uma geração de vencedores, se Deus instituiu o princípio de começar grandes projetos com crianças, se sabemos que Ele aprova tal prática, penso que o mínimo que podemos fazer é investir nas crianças.

Formar uma geração implica em formar a sua mentalidade. Precisamos ensinar as crianças a pensar como Deus pensa, porque o nosso grande desafio é justamente esse: "formar" a mente delas de acordo com a mente de Deus; ou seja, de acordo com a Sua Palavra.

 

Você conhece o exemplo de Rebeca e Jacó, seu filho. Muito antes de Jacó nascer, Deus deu a Rebeca uma palavra de que ele seria o Seu escolhido para herdar a promessa dada a Abraão - o descendente privilegiado. Percebemos que Rebeca creu naquela palavra, porque os acontecimentos mostram que ela influenciou Jacó em direção à benção de Deus - ele desejou a primogenitura com toda a intensidade do seu coração, porque sabia que ela é que lhe dava o direito de herdar a promessa.

Como Jacó poderia desejar algo que ele sabia que não lhe pertencia? A Bíblia diz que ele gostava de ficar perto de Rebeca, enquanto seu irmão Esaú gostava de caçar. Rebeca tinha a Palavra de Deus e foi o canal pelo qual Deus pôde agir para formar a mentalidade de Jacó. Embora ele tivesse muitas deficiências que precisaram ser transformadas, Deus encontrou nele algo: o profundo desejo de ser um vencedor à maneira de Deus!

Na verdade, o que Deus deu a Rebeca foi mais do que uma palavra. Ele lhe deu a responsabilidade de formar a mentalidade do herdeiro da promessa. Este princípio vale para nós hoje, porque também temos uma responsabilidade: fomos chamados para formar uma geração de vencedores!

Outro modo de se formar uma geração de vencedores é enxergar as crianças como líderes em potencial. Quando Deus me deu uma palavra para trabalhar com crianças eu questionei a respeito de outra palavra anterior que Ele havia me dado: de que eu formaria líderes. Então Ele me deu uma resposta-surpresa. Mais do que isso: uma revelação. Ele me disse claramente: "-Eu quero que você trabalhe com crianças, sim; mas quando olhar para elas, veja-as como líderes. E forme nelas os líderes que Eu lhe prometi!"

Isso foi o bastante para mim. De fato eu creio que esta seja a vontade de Deus para nós: formar uma geração de líderes fortes, com a mentalidade de vencedores!

Um exemplo disso, embora aplicado de maneira negativa, é o de Hitler. Dez anos antes de levantar a bandeira do nazismo, na Europa, ele começou a difundir suas idéias nas escolas e no meio das crianças. Essa geração de crianças cresceu e, anos mais tarde, ele tinha um exército de jovens levantando a bandeira do nazismo. O que isso prova? - Que líderes são formados na infância!

Os líderes que Deus vai levantar na próxima geração não virão porque já se encontram prontos no nosso meio. Muios deles estáo sendoi confiados a nós hoje, para serem treinados como soldados - aprendendo a ser vencedores de fato! Mas, cuidado! Deus vai enviá-los a nós, aos milhares, em forma de crianças!

Que cada um de nós cumpra a sua parte nesta tarefa gloriosa; que nos lembremos de que uma geração só será de fato de vencedores se for ensinada a pensar como tais!