Negligência dos Pais

Fonte: Ministério Crescer

 

 

Negligência dos pais

 

Como vai você no relacionamento com os filhos?

 

É possível que esta pergunta não se aplique a você, mas tenho um palpite de que muitos dos meus leitores ainda não estão no processo de treinar e educar seus filhos. Assim sendo, por amo de você mesmo... como vai ser relacionamento com eles? Que palavras você escolheria, desta série, a fim de descrever seu relacionamento em geral, com seus filhos?

 

-          Cheio de desafios              - Impossível              - Cheio de aventuras

-          Excitante                              - Tenso                      - De partir o coração

-          Raivoso                                - Engraçado             - Agradável

-          Cheio de ameaças             - Impaciente             - Apressado

 

Se você deseja ter os olhos abertos para os fatos reais, pergunte a seus filhos hoje à noite, à mesa do jantar. Peça a eles que descrevam seus sentimentos a respeito de você, e do lar. Já avisando, porém você pode ficar magoado! Entretanto, poderia ser o primeiro passo na direção da harmonia, e d amor genuíno restaurados debaixo do seu teto. O fato é que você poderá ter uma surpresa agradável. Com freqüência, os pais se criticam a si mesmos mais do que o necessário.

 

Não é necessário dizer que a certeza de que o lar é cristão não constitui na garantia contra desarmonia. A velha natureza ainda pode reaparecer. As raízes dos hábitos úteis podem ser desprezadas. Enfrente a verdade, me amigo. Parece agora mesmo e pense em seu lar. Por que você não tira de lado um pouco de tempo, durante os próximos meses, para o propósito único de avaliar as atuais condições de seu lar e, em seguida, por em ação as providências necessárias para fortalecer os pontos fracos porventura descobertos? Entretanto, a avaliação na servirá para nada se tudo quanto vier depois é a culpa e a mágoa. Para ali é como se um cirurgião parasse uma operação imediatamente após fazer a incisão. Tudo que restaria, depois seriam os problemas antigos, muita dor e uma cicatriz horrorosa.

 

Admoesto – se você me permitir- a usar esta período de tempo como uma oportunidade para você aproximar-se de seus filhos...eliminar as barreiras que estão bloqueando o fluxo de amor e afeição de ambas a partes....avaliar de que forma se processa o desenvolvimento do caráter...enfrentar os fatos antes que os pontos dolorosos, perturbadores induzam a uma doença do doméstica permanente.

Guarde o seu coração contra a negligência!

Três casos bíblicos deverão avalia-lo um pouco, ao perceber que você não está só nesta batalha:

 

1-    Rebeca- Que favoreceu a Jacó, em prejuízo de Esaú, e usou-o a fim de enganar a seu pai, Isaque, o que levou a família a desintegrar-se (Gn 27). “Isaque amava mais a Esaú” V. 5.

2-    Eli – Que foi julgado por Deus por causa da falta de disciplina, e por ter falhado, não permanecendo firme quando seus filhos começaram a rebelar-se (I Sm 3.11-14);

3-    Davi- Que cometeu o mesmo pecado contra seu filho, Adonias, a quem jamais restringiu, nem o contrariou em seu relacionamento, quando menino (I Reis 1.5-6). A Absalão não quis ouvir, a Ammon não quis disciplinar, a Tamar não consolou.

4-    - Criou suas filhas onde não deveria. Sodoma e Gomorra era uma espécie de lixão moral, cuja depravação chegou ao limite, provancando sua destruição. Ló demorou-se a retirar-se de lá. Foi passivo. Não se posicionou. Não tomou atitudes.

 

Ninguém é imune...nem mesmo os heróis bíblicos. Nem você, tão pouco. Então vá em frente! Recuse-se a camuflar sua negligência de pai, de agora em diante.

 

COMO EDUCAR SEU FILHO PARA ELE SEJA UM DELINQÜENTE:

 

1-    Enquanto seu filho ainda é criança, dê-lhe tudo quanto quiser. Dessa forma, ele vai pensar que o mundo lhe deve um meio de vida, ao atingir a idade adulta;

2-    Quando ele contar anedotas indecentes, ou pronunciar palavrões, ria bastante, encoraje-o. Quando for maior, irá dizer coisas “mais engraçadas” ainda que deixarão você com a cara no chão.

3-    Nunca lhe dê qualquer incentivo espiritual. Espere até que ele faça vinte e um anos, e se decida por si mesmo;

4-    Evite usar a palavra “errado”. Ela dará ao seu filho um complexo de culpa. Você pode condiciona-lo a crer, mais tarde, quando for preso por roubar um carro, que a sociedade está contra ele, e que ele está sendo perseguido;

5-    Guarde as coisas que ele deixa ao léu. Vá apanhando livros, sapatos e roupas. Faça tudo por ele, de modo que ele terá experiência quanto a jogar a responsabilidade sobre os outros;

6-    Deixe-o ler todo e qualquer material impresso que cair nas mãos. Nunca pense em controlar seus programas de televisão. Esterilize louças e talheres, mas deixe-o nutri o espírito com lixo;

7-    Brigue com freqüência na presença dele. Ele não se surpreenderá quando seu próprio lar desintegrar-se, mais tarde.

8-    Satisfaça todos os seus desejos quanto a comida, bebida e conforto. É preciso gratificar-lhe todos os desejos sensuais. A negação pode induzir a frustrações danosas.

9-    Dê a seu filho todo dinheiro que ele quiser. Não permita que ele receba dinheiro em troca de trabalho efetuado. Por que é que ele precisará trabalhar tanto quanto você trabalhou?

10- Defenda-o sempre contra os vizinhos, professores e policiais. Todos estão contra seu filho;

11- Quando ele arranjar encrenca brava, arranje desculpas para você mesmo, dizendo: “Jamais consegui alguma coisa dele, já nasceu assim mesmo”;

12- Prepare-se para uma vida cheia de tristezas.

 

Muito bem, tudo certo...talvez tudo isso seja um bocado sarcástico. Mas antes de jogar fora a água do banho e o bebê junto com a água, dê mais uma olhada , com atenção. Como estão indo as coisas entre vocë e seus filhos?

 

 A BUSCA DE HOJE

É no lar, na verdade, que a vida toma decisões. É ali entre os demais membros da família que martelamos nossas convicções na bigorna dos relacionamentos. É ali que cultivamos as coisas valiosas da vida, as atitudes, as memórias, as crenças e, acima de tudo, o caráter. Dê graças a Deus, hoje, pela ajuda que ele deu, ao prover-lhe um lar onde você pode desenvolver esses elementos importantíssimos.

Leia Deuteronômio 6.1-9.

 

                                                           Fonte: A Busca do Caráter – Charles Swindoll