Fantoches

Webnode

FANTOCHES
 

COMO SE FAZ: FANTOCHES PARA CONTAR HISTÓRIAS
 

Para esses você irá precisar de: feltro, retalho de tecido colorido, botões, fitas, tesoura, cola quente, caneta para tecido, olhinhos móveis, sobras de lã...

Preparadas?

Risque e corte o molde abaixo no feltro duas vezes, que será o corpinho do fantoche


Cole toda a borda com cola quente, deixe somente a borda embaixo para colocar a mão.

Depois, com retalho de tecido colorido, faça o vestidinho e cole-o no corpinho


E, para finalizar, cole os olhinhos, os cabelinhos de lã e dê um toque especial na roupinha. A boquinha, faça com a caneta para tecido.


E agora as menininhas estão prontas para mais uma HORA DA HISTÓRIA!!!
 


 

 
O teatro de bonecos talvez seja mais velho do que o próprio teatro com atores de verdade. É assim: em vez de pessoas interpretando personagens, quem conta a história são bonecos controlados com a mão.
Cada parte do mundo tem um tipo de boneco diferente: no Brasil, os mamulengos do estado de Pernambuco; pelo mundo, há desde os bonecos dos índios americanos aos fantoches e marionetes da Europa, até chegar na Índia e em Java, com suas milenares tradições nessa arte!
Japão: os bunraku chegam a ter o tamanho de uma criança e cada um é controlado por vários operadores, a partir de mecanismos nas costas dos bonecos.
Índia: bonecos de vara, que existem também na ilha de Java (país vizinho).
Europa: ali aparecem principalmente as marionetes, que são bonecos controlados por cordinhas presas nos seus braços, pernas e cabeça. Também há fantoches, que são construídos em cima de luvas e controlados pela mão.
Estados Unidos: índios americanos usam teatrinho de bonecos em rituais mágicos.
Brasil: o mamulengo é um dos principais tipos de bonecos de teatro, aparecendo principalmente no estado de Pernambuco. As pessoas que os fazem são chamados de mestres. Há até um museu na cidade pernambucana de Olinda, onde se vê muitos tipos de bonecos. As companhias de mamulengo viajam por toda a região do Nordeste do país, apresentando-se em grandes e pequenas cidades.


 

Origens dos fantoches
 


 
"Contos e mitos são como um anjo bom que a pátria de um homem lhe dá desde o nascimento, para acompanhá-lo pela vida, para que lhe seja um fiel companheiro durante essa caminhada e, assim, oferecendo-lhe essa companhia, faça dessa vida um conto de fadas verdadeiro e interiormente animado!" (Irmãos Grimm)
 

 
Não se pode dizer ao certo quando surgiram os primeiros fantoches.
 
Os fantoches são personagens do mundo e não conhecem fronteiras a pouco é que se deu a sua secularização.
 
Com relação ao sinônimo de fantoches é interessante falar que na idade média dava-se o nomes de Mariette às pequenas imagens da Virgem.
 
Parece que o termo marionete (“marinette”) surgiu em Veneza no século XIV, no dia em que as Marias de madeira substituiram numa festa as meninas que faziam o papel de santas.
 
O termo mamulengo, não se sabe ao certo, supõe-se que deriva do termo “mão molenga”.
 
No século XVII, Leonor Godomor ficou célebre no Peru com seu teatro de títeres.
 
Em meados do século XIX, o teatro de fantoches conseguia esvaziar o teatro tradiconal.
 
O títere chegou ao Brasil em dois pontos diferentes e com um espaço de século e meio. Primeiramente apareceu em Pernambuco, trazidos pelos holandeses e depois no Rio Grande do Sul, trazidos pelos alemães.
 
No início deste século as apresentações com fantoches passam a ter um papel menos importante, chegando aos nossos dias funcionando apenas para as crianças e raramente numa ação didática para adultos.
 


 

Como fazer fantoches
 


Os fantoches são feitos de madeira, metal, papel, palha, barro, etc. São vestidos a caráter. Geralmente cada boneco tem o seu nome e a sua personalidade. Em todas as representações, nunca saem de uma determinada “linha de conduta”. Assim o chorão, o briguento, o valente, o bondoso, sempre se apresentam com seus predicados, pelos quais se tornam conhecidos. Além desses personagens humanos, há também os bichos, destacando-se entre nós o brasileiríssimo jacaré.
 

 

 

Tipos de fantoches
 

Os fantoches podem ser feitos de vários tipos:
 
· • Fantoches de pano
 
· Fantoches de luva
 
· • Fantoches de espuma
 
· • Fantoches de vara
 
· • Fantoches de corpo
 
· • Fantoches de barro
 
· • Fantoches de madeira
 
· • Fantoches de metal
 


 

Contando histórias
 

Contar histórias é uma ótima fonte de informação. A troca de experiências é benéfica tanto para quem ouve, quanto para quem conta. Os jovens podem aprender, enquanto os vovôs se atualizam dessa estratégia.
 

Formas de Contar Histórias
 
• Para transformar a narrativa em algo mais lúdico, aproveite-se de elementos externos; além de atrair a atenção das crianças, facilita a compreensão do enredo.
 
• Use fantoches para contar as histórias. Eles podem ser comprados ou feitos artesanalmente. Fantoches de meia são simples e, se bem feitos, ficam muito bonitos.
• Preparar um teatrinho também chama a atenção. O vovô pode montar o texto e ensinar para as crianças, que se dividirão em diversos papéis;
 

• Canções populares que tenham o mesmo tema da história abrilhantam o espetáculo. Uma coreografia simples faz com que a narrativa jamais abandone as crianças que a assistam.
• Exercite a imaginação das crianças e peça para, também elas, lhe contarem suas histórias.

 

Webnode